Dia de Portugal – Partido Nacional Renovador

Querem comemorar o Dia de Portugal a 24 de Junho

Guimarães quer que a comemoração do Dia de Portugal passe a ser a 24 de Junho, dia da batalha de S. Mamede, e não a 10 de Junho, como é tradição. A intenção é tão vincada que foi apresentada e aprovada uma moção em Assembleia Municipal, que será agora encaminhada para a Assembleia da República, primeiro-ministro e Presidente da República.

«Há muita gente que liga o 24 de Junho às celebrações do dia de S. João, que acontecem no Porto e em Braga, mas em Guimarães celebramos a fundação de Portugal devido à batalha de S. Mamede, que aconteceu em 1128», justificou ao PortugalDiário André Coelho Lima, líder da bancada parlamentar municipal do PSD.

«Só quero comemorar o Dia da Raça, de Portugal e das Comunidades»

«Portugal nasceu naquela batalha, que teve lugar em Guimarães, e o nosso país é dos poucos países que pode atribuir uma data concreta à sua fundação. Por isso, consideramos que deveria ser celebrado como o Dia de Portugal», frisou. Na moção, apresentada pelo PSD e aprovada também pelo CDS/PP e PS, ficam bem explícitos os passos para o futuro: solicitar ao Presidente da República, ao Governo e à Assembleia da República que, conjunta ou isoladamente, promovam a discussão da consideração pelo Estado Português do dia 24 de Junho como Dia de Portugal; remeter o texto desta moção aos referidos Órgãos de Soberania, bem como a todos os Grupos Parlamentares com assento na Assembleia da República».

«Esta é uma causa nacional. Que esperamos que, tal como sucedeu com o nosso País, tenha o seu início em Guimarães. Trata-se de uma data que assinala a fundação de Portugal e não só de Guimarães, por isso devia ser festejado por todos. Não queremos mais um feriado, apenas a legitimação de uma data com maior sentido do que o 10 de Junho, que está associado a Camões e antigamente era festejado como o dia da raça», vincou André Coelho Lima.

Paralelamente a esta moção política, a JSD está também a recolher assinaturas para levar o assunto à Assembleia da República. «Queremos que esta questão seja abordada e discutida», referiu o responsável partidário.>>>